CÁLCULOS BILIARES

by Paula

Definição

Os cálculos biliares são cálculos formados por uma acumulação de bílis e de colesterol cristalizados. São mais comuns nas mulheres com idade superior a 40 anos, que são obesas e têm filhos, sendo igualmente frequentes nos diabéticos, nos obesos e nas pessoas idosas. Aproximadamente metade das pessoas que sofrem de cálculos biliares não apresentam sintomas.

Sintomas de cálculos biliares:

– Icterícia (a pele adquire um tom amarelado).

– Fezes da cor da argila.

– Urinas escuras.

Os dois sintomas seguintes manifestam-se geralmente nas três ou quatro horas subsequentes ao consumo de alimentos fritos ou muito ricos em gorduras:

– Dores agudas na parte superior do abdómen, que podem irradiar para os ombros e as costas.

– Vómitos e/ou náuseas.

Causas

  • Insuficiência hepática que provoca uma produção anormalmente débil.
  • Insuficiência de fibras na alimentação.
  • Carência em vitamina C. Esta vitamina ajuda a converter o colesterol em ácidos biliares.

Remédios naturais

Regime alimentar

– Deve absolutamente eliminar da sua alimentação os alimentos muito ricos em gorduras saturadas e em colesterol, como os laticínios ricos em gorduras, os produtos à base de carne, os ovos estrelados ou mexidos e os óleos.

– Evite o açúcar e os alimentos ricos em açúcar.

– A possibilidade de uma carência em ácidos e em enzimas digestivas deve ser examinada, já que estas substâncias determinam a decomposição dos alimentos ingeridos.

– A produção de colesterol não depende unicamente do consumo de alimentos que o contêm. Mesmo os vegetarianos podem apresentar níveis elevados de colesterol quando estão sujeitos a muito stress. O colesterol é uma componente da adrenalina. Durante os períodos de stress, o fígado produz quantidades excessivas de colesterol, para ajudar as glândulas suprarrenais a segregar adrenalina. O nível global de colesterol no organismo aumenta e quando este processo se mantém durante um período prolongado, o fígado acaba por ceder e deixa de funcionar.

– Os alimentos ricos em fibras absorvem e eliminam o colesterol e a bílis, mantendo-os solúveis e retardando ou eliminando a sua absorção pelo organismo. Uma das principais causas do cancro do cólon é a presença de grandes quantidades de bílis no cólon.

Os alimentos ricos em fibras são, nomeadamente:

  • As leguminosas.
  • O farelo.
  • Os cereais integrais.
  • O arroz integral.
  • As massas alimentares produzidas com cereais integrais.

Plantas

– A salsa alivia todos os problemas hepáticos.

– O cardo de Santa Maria (Sylibum marial] regenera as células do fígado.

Terapêuticas complementares

– As compressas de óleo de rícino. Embeba uma ponta de flanela em óleo de rícino quente, enxugue-a e coloque-a sobre a região inflamada. Cubra com um plástico e seguidamente com uma almofada de aquecimento. Aplique esta compressa 2 vezes por dia, durante uma hora de cada vez.

– A limpeza da vesícula para eliminar os cálculos. Não coma nada depois do meio-dia. Às 19 horas, tome 60 ml de azeite, mais 30 m! de sumo de limão fresco. Repita as mesmas quantidades, de quinze em quinze minutos, até às 20 horas e 45 m. Nessa altura terá ingerido 480 ml de azeite e metade do sumo de limão.

– Vá para a cama às 22 horas e deite-se sobre o lado direito. No dia seguinte de manhã, os cálculos passarão para as fezes se não forem demasiado volumosos. O canal biliar é lubrificado pelo azeite e dilata-se. Os cálculos existentes no interior do canal deslocam-se e circulam até aos intestinos, onde são eliminados nas fezes. As fezes podem ser frequentes durante dois dias.


BRONQUITE

by Paula

Inflamação dos brônquios, aguda ou crónica, uma bronquite é, em Geral, provocada por uma gripe ou uma simples constipação. Mas pode ser provocada por uma poluição suportada durante demasiado tempo: tabagismo dos pais para as bronquites das crianças, que as perseguem incessantemente à mínima constipação.

Independentemente da sua origem, a bronquite instala-se muitas vezes durante pelo menos 2 semanas. As recaídas e recidivas podem ser frequentes, sendo, por conseguinte, uma afecção que não deve de maneira nenhuma ser menosprezada. O repouso na cama é recomendado, mesmo se o doente não sentir necessidade. A alimentação deve ser ligeira.

A bronquite aguda que começou com corrimento nasal, apresenta em primeiro lugar uma tosse seca, seguida de expectoração. É acompanhada por febre.

A tosse, por mais desagradável que seja, tem no entanto a sua utilidade: a expectoração permite evacuar o excesso de secreções de muco, purulentas. Porém, é útil tentar fluidificar estas secreções para que o doente as possa evacuar mais facilmente. Durante uma crise, siga uma dieta: suprima os açúcares, os produtos lácteos e os fritos. Prefira os caldos de legumes e os sumos de fruta frescos.

Bronquite crónica

Uma bronquite torna-se crónica quando dura mais de 3 meses por ano e volta obstinadamente mais de 3 anos consecutivos.

A tosse e a expectoração existem sem que o paciente se sinta especialmente cansado ou com febre. Em seguida, as dificuldades respiratórias aparecem, manifestam-se através de crises semelhantes a crises de asma, ou através de crises mais discretas mas permanentes.

O estetoscópio ou uma escuta atenta permite identificar os ruídos brônquicos. As 2 causas essenciais da bronquite crónica são: os climas com nevoeiro e humidade e o tabagismo. Para tratar a bronquite crónica, a supressão dos irritantes (fumo ou poluentes), constitui a primeira medida indispensável e obrigatória.

Porém, a cura total é rara. Pode simplesmente evitar o aparecimento de novas crises significativas. Recomendam-se estadias prolongadas em climas quentes e secos.

Um conselho muito simples para drenar os brônquios: deite-se de barriga para baixo e deixe a cabeça pender fora da cama, mais baixa que o peito. Esta posição deve ser mantida durante um minuto (2 vezes ao dia)

Mistura para purificar a atmosfera

Se tiver bronquite crónica, aconselho a que purifique a sua atmosfera. Para isso, mande preparar numa farmácia a seguinte mistura:

Óleo essencial de cajepute

Óleo essencial de tomilho vermelho

Óleo essencial de eucalipto

Óleo essencial de pinheiro

Óleo essencial de murta

– 6 ml de cada óleo, de maneira a obter um frasco de 30 ml.

De manhã e à noite – colocar algumas gotas num prato colocado sobre um aquecimento. Vai obter resultados ainda melhores utilizando pequenos difusores eléctricos vendidos nas lojas de dietética e em algumas farmácias.

Bronquite aguda

• Na chávena de chá do pequeno-almoço, almoço e lanche – Dilua 1 ampola de sumo de rabanete preto.

3 vezes ao dia – 2 gotas de óleo essencial de Canela num torrão de açúcar.

Durante o dia – Beber esta tisana à vontade:

Flor de verbasco: 50 g

Baga de zimbro: 50 g

Baga de roseira brava 50 g

Folha de eucalipto: 50 g

Folha de hortelã: 25 g

Planta Hissopo: 50 g

Planta de borragem: 50 g

Misture as plantas. Coloque 5 colheres de sopa rasas da mistura num litro de água fria, leve a ebulição, deixe ferver durante 1 minuto e em infusão durante 10 minutos e filtre.

Duração do tratamento: continuar o tratamento durante pelo menos 1 semana, após a cura.


GARCINIA CAMBOGIA

by Paula

As Propriedades do Aloé Vera

O conhecido Aloé Vera ou Babosa é uma planta pertencente à família das Liliáceas, do qual também faz parte do alho. Ambos possuem grandes propriedades curativas e nutritivas. O Aloé Vera ou Babosa, por as propriedades curativas e regeneradoras, é mencionado em passagens bíblicas e nos antigos hieróglifos egípcios, sendo utilizado por Alexandre Magno em suas conquistas como sendo o único paliativo para os ferimentos de guerra. Actualmente o Aloé Vera está a ser redescoberto com a vantagem de que agora ele tem sido submetido a investigações mais seguras e profundas, nas quais são realizadas análises de laboratório e provas clínicas controladas que asseguram a eficácia de suas propriedades curativas.

Algumas das propriedades do Aloé Vera são:

FUNÇÃO INIBIDORA DA DOR:

O Aloé Vera reduz a dor ao ser aplicado no ferimento devido à sua grande capacidade de penetração, vantagem que não é encontrada na maioria de outros produtos. O Aloé Vera bloqueia a dor nas camadas mais profundas da pele, devido aos seus componentes activos e ao seu poder anti‐inflamatório e penetrante.

ACÇÃO ANTI‐INFLAMATÓRIA

O Aloé Vera tem uma acção similar à dos esteróides como a cortisona, porém sem os efeitos nocivos que este provoca. Por esta razão, pode utilizar‐se em todos os transtornos inflamatórios, como a bursite, artrite ou picadas de insecto. Para um melhor efeito sobre a pele, coloque um algodão empapado com o gel de Aloé Vera e cubra‐o para evitar que se evapore. Um ponto importante a ressaltar é que o Aloé Vera não contém cortisona, mas contém enzimas e outros elementos que o tornam altamente anti‐inflamatório.

ACÇÃO COAGULANTE

Como o Aloé Vera contém alto conteúdo de cálcio e potássio, ele provoca a formação de uma rede de fibras que retém os eritrócitos do sangue, ajudando assim a coagulação e a cicatrização necessária. O cálcio é um elemento muito importante para o bom funcionamento do sistema nervoso e para a acção muscular, sendo um grande catalisador em todo o processo de cicatrização.

ACÇÃO QUERATOLÍTICA

Esta acção permite que a pele danificada ou ferida se desprenda, havendo uma renovação de tecidos com células novas. Permite que exista também um maior fluxo sanguíneo através de veias e artérias, livrando‐as de pequenos coágulos.

ACÇÃO ANTIBIÓTICA

Comprovou‐se que o Aloé Vera inibe a acção destruidora de muitas bactérias, como a Salmonella e os Staphylococcus que produzem o pus, etc. É um produto excelente para a eliminação bacteriana, bem como para a sua prevenção.

ACÇÃO REGENERADORA CELULAR

O Aloé Vera possui a hormona que acelera o crescimento de novas células e além disso elimina as células velhas. Graças à presença de cálcio no Aloé e Vera, as células podem manter o seu equilíbrio interno e externo, proporcionando assim melhor saúde celular a todos os tecidos docorpo, porque o cálcio regula a passagem dos líquidos nestas células.

Câncro de pele

O Aloé Vera evita que o sistema imunológico da pele se danifique. Uma característica importante é que o Aloé contém 18 aminoácidos que o corpo humano necessita para a formação de proteínas (as proteínas são cadeias formadas pela combinação de vários aminoácidos). Ademais, o Aloé contém minerais como o cálcio, fósforo, cobre, ferro, manganês, magnésio, sódio e potássio, que são elementos indispensáveis para o metabolismo e para a função celular.

ACÇÃO ENERGÉTICA

O Aloé Vera ajuda no bom funcionamento do metabolismo celular, isto é, ajuda na produção da energia que o corpo necessita. Além disso, devido ao seu conteúdo de vitamina C, ele produz uma acção que melhora e estimula a circulação e o bom funcionamento do aparelho cardiovascular. A vitamina C não é produzida pelo organismo, por isso temos de a ir buscar externamente. Esta vitamina é muito importante para o fortalecimento do sistema imunológico, do aparelho circulatório, do aparelho digestivo, intervindo na prevenção da maioria das doenças, como se descreverá mais adiante, ao falar‐se sobre a vitamina C.

ACÇÃO DIGESTIVA

O Aloé Vera contém uma grande quantidade de enzimas. Algumas enzimas podem ser produzidas pelo organismo (ex: pelo pâncreas), porém outras não o são, havendo portanto a necessidade de serem adquiridas externamente. Durante o processo digestivo, as enzimas transformam as proteínas, convertendo‐as em aminoácidos; os hidratos de carbono em açúcares (glicose) e as gorduras em ácidos gordos. E desta forma esses elementos transformados são absorvidos pelo intestino e levados à corrente circulatória.

ACÇÃO DESINTOXICANTE

Desintoxicação = eliminação + regeneração + assimilação

Devido ao potássio que o Aloé Vera contém, ele melhora e estimula o fígado e os rins, que são os principais órgãos de desintoxicação. O Aloé contém ácido úrico, o qual elimina as toxinas ao nível celular. O Aloé Vera, ao ser ingerido pela primeira vez, tende a produzir um pouco de diarreia devido ao facto de que ele produz uma limpeza inicial nos intestinos, tanto de bactérias quanto de alimentos que estão retidos nas alças intestinais ou nos divertículos.

ACÇÃO HIDRATANTE DA PELE

O Aloé Vera penetra profundamente na pele e restitui os líquidos perdidos, atém de restaurar os tecidos danificados de dentro para fora, como acontece no caso das queimaduras, tanto as ocasionadas por fogo, por radiação ou pelo sol.

ACÇÃO NUTRITIVA

O Aloé Vera contém 18 dos 23 aminoácidos (componentes das proteínas) que o organismo necessita para formação de células e tecidos. Além disso, contêm enzimas necessárias ao processamento dos hidratos de carbono, das gorduras e das proteínas no estômago e no intestino.

SAÚDE E BEM-ESTAR – através de elementos naturais

O Aloé contém uma grande variedade de vitaminas, como a B1, B5, B12, A e C. Também contém minerais como cálcio, fósforo, cobre, magnésio, manganês, sódio e potássio.

ACÇÃO TRANSPORTADORA

O Aloé Vera é um veículo perfeito para transportar profundamente para dentro da pele outras substâncias ou elementos aos quais está combinado. Esta é a razão pela qual existem milhares de produtos cosméticos e medicinais misturados com Aloé. Como por exemplo, pode-se citar:

−  Em combinação com eucalipto e jojoba, ele fornece um grande calmante para a dor, já que penetra nas três camadas da pele, chegando até à região muscular.

−  Associado ao própolis, dá‐nos um excelente creme para infecções da pele.

−  Associado ao óleo de coco e a um bloqueador de raios-ultravioleta dá‐nos um excelente protector solar.

ALOÉ VERA NA ODONTOLOGIA

O Aloé na sua prática diária, na odontologia, na forma de pasta de dentes, ajuda a combater o sangramento e a gengivite, controlando a sensibilidade dentária e ajuda na prevenção das cáries. Além disso, não contém elementos abrasivos que destroem o esmalte dos dentes. O Aloé Vera misturada com jojoba ajuda a eliminar o ressequimento dos lábios e as aftas bucais.

O ALOÉ VERA NO TRATAMENTO DE BELEZA

É bem conhecido que tanto Nefertiti como Cleópatra usavam o Aloé Vera para se embelezar. Sem dúvida, essa tradição foi institucionalizada, tornando o Aloé Vera um importante elemento em muitos produtos de beleza. A limpeza facial é muito importante devido à suavidade e flexibilidade que deve ter a pele do rosto

. O Aloé Vera tem dois componentes: ligninas e polissacarídeos (hidrato de carbono), que realmente penetram nas três camadas da pele (epiderme, derme e hipoderme) e expulsam as bactérias e os depósitos de gordura que obstruem os poros.

O Aloé Vera ao penetrar faz com que a acção dos nutrientes naturais, como os minerais, as vitaminas, os aminoácidos e as enzimas que contêm, melhorem e estimulem a reprodução de novas células, substituindo as células mortas da pele. Se a epiderme não puder eliminar essas células de gordura, os poros da pele irão obstruir‐se e as glândulas sudoríparas não poderão funcionar bem, começando a formar infecções na pele. Por seus poderes regenerativos, cicatrizantes e de alta penetração na pele, o Aloé Vera é usada em cremes humectantes, máscaras cosméticas, champôs, cremes tonificadores ou redutores de gordura, etc. Além disso, é usada em cremes bronzeadores e protectores solares.

Com o Aloé Vera produzem-se cremes para dores musculares e reumáticas, também se utiliza o Aloé Vera em forma de gel para combater o acne. O Aloé Vera é um produto que pode ser combinado facilmente com uma grande quantidade de outros elementos naturais e também com produtos domésticos, como é o caso de sabões e champôs.


ACNE

by Paula

Definição

O acne é uma doença inflamatória da pele, mais concretamente do rosto, provocada por uma obstrução das glândulas sebáceas. Atinge principalmente os adolescentes, após a puberdade. Se um caso de acne grave não for tratado, podem desenvolver-se tecidos cicatriciais na região afectada.

Causas

  • Uma produção excessiva de sebo: esta substância gorda produzida pelas pequenas glândulas sob a pele bloqueia os poros, o que dá frequentemente origem a uma infecção bacteriana. Esta produção excessiva de sebo é causada pela ingestão de alimentos ricos em gorduras saturadas ou de açúcares que se transformam em gorduras saturadas no sangue. Além disso, a carência em zinco provoca hipertrofia das glândulas sebáceas. Alergias a elementos do ambiente. Alergias alimentares. Reacções a produtos cosméticos. Reacções a produtos cosméticos. Uma super-abundância de toxinas no organismo. Estas invadem as vias normais de eliminação, como os intestinos, as vias urinárias e os pulmões, são então excretadas pela pele e juntam-se às bactérias à superfície, provocando a infecção.
  • Alergias a elementos do ambiente.
  • Alergias alimentares.
  • Reacções a produtos cosméticos.
  • Uma super-abundância de toxinas no organismo. Estas invadem as vias normais de eliminação, como os intestinos, as vias urinárias e os pulmões, são então excretadas pela pele e juntam-se às bactérias à superfície, provocando a infecção.
  • Uma super-abundância de toxinas no organismo. Estas invadem as vias normais de eliminação, como os intestinos, as vias urinárias e os pulmões. São então excretadas pela pele e juntam-se às bactérias à superfície, provocando a infecção.

Tratamentos clássicos

  • Antibióticos para diminuir a inflamação.
  • Dermoabrasão para as cicatrizes.
  • Tratamento a Laser.
  • Agentes adstringentes.
  • Derivados de vitamina A.

Remédios naturais

Modificação do regime alimentar

  • Elimine da sua dieta todos os alimentos que prejudicam o funcionamento eficaz do seu fígado como órgão de desintoxicação. Estes alimentos incluem os açúcares transformados, os lacticínios, as gorduras saturadas e todos os produtos que provocam reacções alérgicas. Nos casos persistentes, devem ser efectuadas análises para determinar as substâncias alimentares e ambientais que provocam alergias.
  • Suprima o álcool, as drogas e a utilização abusiva de medicamentos.
  • Elimine as bebidas gasosas comerciais que contêm óleo vegetal brómico.

Defenda-se da poluição

  • Evite o fumo do tabaco. Se fuma, liberte-se deste hábito e não se esqueça de que o fumo passivo também prejudica o seu organismo. O cigarro provoca uma contracção de todos os vasos sanguíneos do organismo.
  • Abstenha-se também de trabalhar ou de estar em locais onde são normalmente utilizados produtos químicos.

Plantas

  • A cavalinha tonifica a pele.
  • A raiz de dente-de-leão limpa o fígado.
  • O cardo de Santa Maria (Sylibum marial) favorece a regeneração das células hepáticas necessárias à eliminação das toxinas. Também protege as células hepáticas contra eventuais danos.

Terapêuticas complementares

  • Mantenha a sua pele perfeitamente limpa. À noite, após ter lavado o rosto com um sabonete natural, comprado numa loja especializada, aplique peróxido de benzol a 5 para estimular a circulação sanguínea no rosto.
  • Aplique aloés no rosto três vezes por dia. Guarde o produto no frigorífico.
  • Para eliminar as cicatrizes deixadas pelo acne, utilize óleo de vitamina E duas vezes por dia. Deve obter resultados visíveis após três meses.
  • Para aliviar a inflamação, friccione as regiões afectadas com o interior de uma casca de banana.